Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

As duas faces da mesma moeda

De um lado estão aqueles que defendem a ideia de que cinema é indústria e como toda indústria deve focar o retorno financeiro e, portanto investir em projetos que tragam rentabilidade seria o mais viável para o cinema nacional. Na outra face da moeda estão aqueles que defendem a ideia de que cinema é arte, e que não tem como principal objetivo o sucesso de público e consequentemente grande retorno financeiro.
   O que muitas das mentes pensantes ainda não entenderam é que cinema é sim arte, mas também é indústria. Que não tem nada de errado em buscar o retorno financeiro, e que arte não é nada de outro mundo para que não seja feita ou exibida. 

É preciso entender que tem filmes que são muito rentáveis financeiramente e outros nem tanto, e existe público para os dois, aliás, existe público para todos os diferentes cinemas que se produz no Brasil. O que falta é espaço para exibir toda essa produção e melhorias nas políticas de distribuição.
    Para ter uma ideia o Brasil possui cerca de…

Rir ainda é o melhor remédio

Dia 22 de março tem estreia, “Vai que dá  certo”longa dirigido por Maurício Farias. A comédia traz no elenco nomes   como Fábio Porchat, Bruno Mazzeo, Lúcio Mauro  Filho, Danton Mello, Gregório Duvivier, Felipe Abib  e Natália Lage. 

Normalmente se fala do filme depois  de ter visto exatamente para dizer o que vocês  devem ou não esperar dele, mas decidi falar antes,  porque o assunto vai além da sua estreia.

   Desde os primórdios do cinema brasileiro as comédias caíram no gosto do público e se tornou o gênero mais popular. Os últimos dados divulgados pela Ancine (Agência Nacional de Cinema) sobre o balanço do mercado brasileiro de cinema em 2012 só confirma a paixão brasileira pelo riso. Dos 10 filmes nacionais de maior bilheteria no ano passado, 6 foram comédias. Juntos as comédias “Até que a sorte nos separe”“E aí, comeu?” e “Os Penetras levaram mais de 7 milhões de brasileiros ao cinema  e arrecadaram mais de R$ 80 milhões.
     As comédias de sucesso ganham sequencias, o baixo c…

Pra não dizer que não falei do Oscar

A indústria do cinema é cheia de contradições, mas todas elas são esquecidas na noite do Oscar, onde os vestidos luxuosos e as joias reluzentes das atrizes ofuscam qualquer crise. Esse ano enquanto a impressa mundial tinha os olhos voltados para as celebridades do tapete vermelho, acontecia bem na porta do local da cerimônia um protesto organizado pelos ex-funcionários da empresa Rhythman e Hues (responsável pelos efeitos especiais e animações do filme As Aventuras de Pi).
          O motivo do protesto é que a empresa decretou falência no início do mês de fevereiro. Ironicamente enquanto o filme arrecadava milhões em bilheteria, os profissionais que trabalharam para realizar a obra perderam seus empregos e ficaram sem receber salários que estavam atrasados. O filme levou 4 estatuetas entre elas  a de Efeitos Visuais, mas o discurso de Bill Westenhofer (responsável pela equipe de efeitos especiais do filme) foi cortado 15 segundos antes, exatamente no momento em que ele ia f…

Além dos contos de fadas

Sempre que falamos de filmes de animação, logo pensamos em filmes infantis e surgem nomes como Walt Disney, Pixar e DreamWorks. O que pouca gente sabe é que existem outros filmes de animação, menos conhecidos talvez, mas não menos criativos e alguns com histórias mais adultas. Existe muita coisa boa além das montanhas de Hollywood e dos castelos encantados da Walt Disney.
  Começo falando das belíssimas animações realizadas pelo estúdio Ghibli. Fundado em 1985 por Hayao Miyamazaki e Isao Takahara. O estúdio é responsável por filmes como "Porco Rosso" (1992) cuja bilheteria superou a do filme "A Bela e a Fera" dos estúdios Walt Disney. 

"A Viagem de Chihiro" (2001), que ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim e o Oscar de melhor animação em 2003 e muitos outros sucessos. Apesar de terem usado computação gráfica na realização de alguns filmes, o estúdio Ghibli é conhecido por produzir animações inteiramente desenhadas à mão, é o caso do filme "Pon…