Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2015

Melhores do Ano - Temporada de Premiação

Começou a temporada de premiação, e de agora em diante vamos ver listas e mais listas dos melhores do ano. No início do mês, os críticos de Nova York anunciaram os melhores do ano, no domingo (6) foi a vez dos críticos de Los Angeles, Boston e dos críticos online de Nova York anunciarem seus escolhidos.  Já é possível ver alguns favoritos, como o drama jornalístico "Spotlight" que foi eleito o melhor filme pelos críticos de Los Angeles e Boston e pelos críticos online de Nova York. "Carol" e "Mad Max: Estrada da Fúria"  e a animação "Anomalisa" também se destacam na lista dos críticos.  Já no British Independent Film Awards, principal prêmio do cinema independente no Reino Unido, o grande vencedor foi "Ex Machina".  Confira abaixo as lista dos vencedores.


NYFCC (Críticos de Cinema de Nova York)


Melhor Filme:Carol 

Melhor Diretor: Todd Haynes, por "Carol" 

Melhor Ator: Michael Keaton, por "Spotlight "

Melhor Atriz: Saoirs…

Respire

Baseado na obra homônima de Anne Sophie Brasme, em “Respire”, segundo filme de Mélanie Laurent, acompanhamos a jovem Charlie (Joséphine Japy) de 17 anos, educada, meiga e bem comportada, ela fica fascinada pela nova aluna, Sarah (Lou de Laâge) é bonita, descolada e de temperamento difícil. Sarah e Charlie se tornam amigas íntimas até o momento em que Sarah começa a mudar seu comportamento. 

No início, Respire tem ares de romance e parece ser mais um filme sobre as descobertas sexuais da adolescência, mas o desenvolvimento da narrativa nos leva ao sufocamento de um relacionamento abusivo. 

As duas garotas tem problemas, uma com o pai a outra com a mãe, Charlie encontra em Sarah o respiro que precisa para aliviar o sufocamento que sente com a relação dos pais e Sarah encontra em Charlie alguém para aliviar suas frustrações familiares. Manipuladora e abusada, Sarah domina Charlie, que mesmo diante das constantes humilhações da garota, segue perdoando, não consegue se livrar da obsessão e d…

O Preço da Fama

Charlie Chaplin faleceu no dia 25 de dezembro de 1977, enquanto dormia vítima de um derrame cerebral. Foi sepultado dois dias depois no cemitério Corsier sur-Vervey. Meses depois Chaplin protagonizaria um dos mais famosos roubos de cadáveres da história, isso porque, uma dupla de imigrantes um polonês e um búlgaro roubaram seu caixão e exigiram resgate para devolver seus restos mortais a família. A bizarra história verídica, acabou virando filme O Preço da Fama (La Rançon de la Gloire) de Xavier Beauvois. 
Misturando realidade e ficção Beauvois fez um filme contemplativo que não chega a ser cômico, nem trágico. No longa a dupla de imigrantes é formada por  Eddy (Benoît Poelveorde) um belga e Osman (Roschdy Zem) um argelino. Ao sair da prisão Eddy é recepcionado por seu amigo Osman, que o abriga em sua casa por causa de uma dívida de gratidão. O grande problema da dupla é a falta de dinheiro que se agrava quando a esposa de Osman necessita de uma cirurgia, diante das dificuldades financ…

Ponte Aérea

Inspirado na obra "O Amor Líquido" de Zygmund Bauman Ponte Aérea tinha tudo pra ser mais do mesmo, mas surpreende positivamente. Na trama acompanhamos o relacionamento de Bruno e Amanda, eles se conhecem em um voo Rio-São Paulo, mas por causa do mau tempo o avião é obrigado a fazer uma parada em Belo Horizonte. Eles passam a noite juntos mas acabam se desencontrando. Ao se reencontrarem em São Paulo, começam um relacionamento que fica cada vez mais intenso, apesar da distância.

Os personagens interpretados por Caio Blat e Letícia Colin caracterizam os contrastes entre o Rio de Janeiro e São Paulo, ele artista plástico que está tentando se encontrar, ela uma bem sucedida publicitária viciada em trabalho. É fácil se identificar com a história e os personagens e parte desse envolvimento do espectador se dá por conta da química entre Caio Blat e Letícia Colin.



Ponte Aérea é uma história de amor moderna, pautada pela dificuldade da juventude de se envolver e criar laços duradouros…

O Vendedor de Passados

Adaptações são sempre complicadas e a liberdade para realiza-las pode ser ainda pior. Lula Buarque de Holanda ganhou essa liberdade do escritor José Eduardo Agualusa para adaptar para o cinema o seu livro homônimo “O Vendedor de Passados”. Na trama acompanhamos Vicente (Lázaro Ramos), um homem cujo trabalho é construir passados a partir de fragmentos de histórias fornecidas pelos próprios clientes. Mas tudo muda quando uma misteriosa mulher o procura e faz um pedido estranho.
O diretor, assim como o protagonista (re)escreve uma história a transformando em outra, já que, o único fato do romance que Lula mantém no filme é a profissão do protagonista. O filme se ancora na atuação de Lázaro Ramos, no seu envolvimento romântico com a personagem de Aline Moraes para chamar a atenção do público, mas pouco funciona.
O envolvimento romântico dos personagens não está desenvolvido o suficiente para deixar a história envolvente, é tudo conciso demais. Embora, a concisão seja uma característica do…

Miss Julie

Adaptação da peça "Senhorita Julia" de August Strindberg, "Miss Julie"  de Liv Ullmann retrata o mundo patriarcal do final de século XIX e sua rígida hierarquia social, uma luta de classes representada por personagens psicologicamente complexos. Na noite de solstício de verão de 1890, a instável Julie, filha de um aristocrata incentiva o criado da casa a seduzi-la. O flerte entre eles é um constante desafio psicológico. A cozinheira, Cathleen testemunha e mantém em segredo o caso entre Julie e o criado, que acabará tendo consequências trágicas.
A versão de Liv Ullmann apresenta algumas alterações das versões anteriores, ao todo são três, a primeira de 1950 realizada por Alf Sjoberg que ganhou o Grande Prêmio do Júri (equivalente a Palma de Ouro) do Festival de Cannes. A segunda de 1999 de Mike Figgis e a terceira em 2003, pelo diretor brasileiro Sérgio Silva que ganhou o título de "Noite de São João". 
Nessa versão, todo o filme se centraliza no trio, Juli…

Kung Fury

Há tempos ouvimos falar de "Kung Fury", o filme do diretor sueco David Sandberg que prometia reviver os anos 80 de forma épica. Em 2013 o diretor lançou uma campanha de financiamento coletivo para realização do filme que arrecadou mais de $600 mil dólares, e nesse fim de semana o filme foi finalmente disponibilizado no youtube e já tem mais de 10 milhões de visualizações.  
O diretor, que também estrela o filme faz uma mistura insana e hilária de dinossauros, garotas vikings com metralhadoras, o deus do trovão Thor, Hitler, portais para voltar no tempo, máquinas arcade robô e Kung fu, para contar a história de um policial renegado, mestre de Kung fu que tem como missão matar o "Kung Führer" Adolf Hitler, o maior criminoso de todos os tempos e para isso conta com a ajuda de seu amigo nerd para voltar no tempo.  Vale a pena prestar atenção nos sons e detalhes do filme, já que o diretor tentou colocar o máximo de referências aos anos 80. 
Aproveitando a onda do filme, o…

A Gangue

O primeiro filme do diretor Ucraniano Miroslav Slaboshpitsky, protagonizado por deficientes auditivos e inteiramente rodado em língua de sinais, acompanha o jovem Sergey que é matriculado em uma escola para surdos-mudos, lá ele encontra uma gangue formada por outros estudantes que praticam crimes e prostituição. Depois de participar de uma série de roubos, ele entra para a gangue, mas viola as regras ao se envolver com a namorada do chefe.

Negligenciados pela sociedade, pela família e pela própria instituição que os acolhe, esses jovens criam as próprias regras e cometem diversos crimes sem saber bem o porquê de fazê-lo, ao mesmo tempo em que enfrentam os dilemas universais de ser adolescente.  
Habituamo-nos rapidamente ao uso da língua de sinais sem maiores prejuízos para o entendimento da trama, o que muito se deve a direção de Miroslav Slaboshpitsky, que constrói a narrativa em vários planos sequências que são realizados sem pressa o que nos obriga a longos períodos de observação ma…

O Dançarino do Deserto - Crítica

O produtor Richard Raymond faz seu debute como diretor, com o drama “O Dançarino do Deserto”(Desert Dancer), baseado na história real do coreógrafo, diretor, dançarino e ator iraniano Afshin Ghaffarian. Em 2009 em meio ao instável clima da eleição presidencial Afshin e alguns amigos se arriscam para clandestinamente formarem um grupo de dança no Irã onde qualquer forma de expressão, inclusive a dança é reprimida.



A maior parte do filme retrata Afshin já adulto, parte da infância é apresentada apenas para melhor contextualização da história.  Embora tenha uma fotografia de qualidade à linguagem poética se restringe as cenas de dança que são bem coreografadas e bem dirigidas, contribuindo para a emoção do filme. O roteiro apressado não permite um melhor desenvolvimento dos personagens e dos temas abordados, política e dança são abordados superficialmente.  



O diretor acerta ao retratar de maneira direta as diferentes formas de repressão que os iranianos são submetidos, do entretenimento a…

50 Tons de Cinza - O Filme

Baseado no livro homônimo da trilogia erótica de E.L. James, no filme acompanhamos o relacionamento amoroso entre Anastasia Steele, uma estudante e o playboy Christian Grey.  Em quase duas horas de projeção, cerca de 20 minutos são de sexo. Sem nú frontal, aparece pelos púbicos aqui e ali e os bumbuns de ambos, embora a nudez dela seja mais explorada. Nas cenas do quarto de jogos, Christian aparece quase sempre de calças e sem camisa.  São duas ou três cenas ousadas para os padrões hollywoodianos que costuma despir seus atores, mas não sabem como lidar com a nudez.


O texto é fraco, os diálogos são ruins, foram felizes ao escolher Dakota Johnson para o elenco,  uma atriz bonita com corpo de mulher normal, sem silicone ou carão de modelo ela nos convence no papel de Anastasia. Já o seu colega Jamie Dornan tem uma atuação robótica e monótona, não convence como o “dominador” que ele insiste em repetir que é. 



Os personagens secundários são completamente dispensáveis, já que não contribuem e…